Meio Ambiente

Resíduos Sólidos

Parque Ambiental



Os principais resultados dos estudos, realizados na Estância Turística de Olímpia para diagnosticar a situação dos resíduos que culminaram na elaboração do Plano Municipal de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos, apontaram a necessidade do município em centralizar a gestão de seus resíduos em um Parque Ambiental, o qual dará suporte ao manejo integrado dos diversos resíduos sólidos gerados no município. A implantação do Parque Ambiental também criaria mecanismos facilitadores para efetivação das medidas propostas em acordos setoriais dos resíduos de significativo impacto ambiental.

O Parque Ambiental de Olímpia tem como ambição ser um Eco Parque Industrial de Tratamento de diferentes tipos de resíduos sólidos. Um Parque Ambiental é uma infraestrutura de destinação final ambientalmente adequada capaz de agregar valor aos resíduos unindo o fator econômico e produtivo ao fator ambiental. Dentro do Parque Ambiental, os espaços são planejados de forma organizada, tendo em vista a possibilidade de integração de vários sistemas de tratamento por meio de suas infraestruturas específicas, o que possibilita a racionalização dos recursos necessários, sejam eles humanos, de matérias-primas, econômicos ou ambientais.

Os principais objetivos do Parque Ambiental de Olímpia são:
• Criar uma infraestrutura industrial de destinação final ambientalmente adequada no município, capaz de receber, tratar e dispor os diferentes tipos de resíduos sólidos com características únicas;
• Se tornar o principal instrumento de sustentabilidade econômica e ambiental da Política Municipal de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos;
• Implantar uma infraestrutura industrial com visão eco-eficiente direcionada para a integração das vertentes ambiental, econômica e social, permitindo a instalação de novas atividades ambientais;
• Contribuir e promover para o desenvolvimento econômico e empresarial dos agentes envolvidos com a gestão dos resíduos sólidos no município por meio do perfeito funcionamento dos fluxos de resíduos e da possibilidade de utilização das instalações com suas atividades econômicas, ambientais e sociais.

As principais vantagens do Parque Ambiental são:
• Eliminação progressiva dos descartes irregulares e clandestinos de resíduos sólidos, em geral, no município pelo correto funcionamento dos sistemas integrados de manejo e destinação final única;
• Possibilidade de alavancar atividades econômicas relacionadas aos resíduos sólidos, por meio do tratamento dos diferentes resíduos sólidos segregados na origem;
• Diminuir custos administrativos e de recursos materiais e humanos pela integração dos sistemas de tratamento de resíduos sólidos em ambiente único.
• Possibilitar a inclusão de catadores de baixa renda na realização das tarefas relacionadas ao manejo e tratamento de resíduos recicláveis;
• Criar infraestrutura base para dar suporte à formação de consórcios visando atender municípios da região que carecem de equipamentos de gerenciamento de RS.

O Parque Ambiental irá trabalhar de forma integrada ao Aterro Sanitário enviando os rejeitos sólidos para disposição final após tratamento dos diferentes resíduos.

Nas instalações do Parque Ambiental de Olímpia está prevista a instalação inicial de dois grandes sistemas de tratamento de resíduos domiciliares, a saber: Centro de Triagem de Resíduos Reutilizáveis e Recicláveis (RRR) e Centro de Recepção e Compostagem de Resíduos Orgânicos Facilmente Degradáveis (ROF). Estes dois sistemas serão capazes de tratar, ao longo dos anos, parcela significativa dos resíduos domiciliares atualmente descartados em aterro sanitário. Com esses sistemas em pleno funcionamento, o município poderá priorizar de forma mais eficiente, suas políticas ambientais relacionadas aos resíduos sólidos, e ampliar com o passar do tempo, as instalações do Parque Ambiental.

Com este entendimento, o Parque Ambiental tem vocação para receber e tratar diferentes resíduos sólidos, como: pneus usados e câmaras de ar; resíduos de madeira; resíduos ferrosos e não-ferrosos; óleos minerais e óleos alimentares usados; resíduos de equipamentos elétricos e eletroeletrônicos; resíduos de lâmpadas em geral. Também poderá estar totalmente integrado com o sistema de tratamento e reciclagem dos resíduos de serviços de saúde e dos resíduos da construção civil.

O Parque Ambiental em sua função social poderá fazer uso sócio-educacional da área por meio de alguns projetos, como: de lazer, de educação ambiental, de paisagismo, de reflorestamento, de compostagem, de hortas pedagógicas, de alfabetização para jovens e adultos e de geração de renda (oficinas de profissionalização como panificação, corte e costura e inclusão digital no Parque).

Portanto, ao longo dos anos, o Parque Ambiental de Olímpia não só proporcionará benefícios claramente ambientais pela redução significativa dos descartes irregulares de resíduos sólidos e econômicos pelos ganhos de qualidade, eficiência e produtividade, mas também cumprirá seu papel sócio educacional por resgatar a cidadania da população olimpiense. A Figura a seguir apresenta a estratégia de fluxos recomendados para o gerenciamento de resíduos domiciliares, em consonância com a Política Nacional de Resíduos Sólidos (Lei 12.305/2010) (Marques Neto & Córdoba, 2014).


Compartilhe

Economize Água! Ela pode acabar!